Português (Brasil) Espanhol (Espanha) Inglês (Estados Unidos)

Cálculo de Dobras

Cálculo de dobras

A dobra ao ar tem por característica nunca fazer com que o material entre em contato com o fundo do canal da matriz, apoiando-se em três pontos: nas bordas do canal da matriz e no raio da ponta do punção.

É o processo mais versátil e econômico graças à possibilidade de executar qualquer ângulo entre 180º até a medida do ângulo da matriz, com as mesmas ferramentas.

Como o contato entre o material e as ferramentas é pequeno, também será menor a força exigida para a operação.

Teoricamente, o raio interno está em função da abertura (V) isto é, quanto maior a abertura do canal da matriz, maior será o raio interno da peça dobrada (Vide nota 2).

Também chamada de “em vazio”, a dobra ao ar é a que melhor fornece condições para corrigir o efeito da recuperação elástica do material.

Mas, uma atenção especial deverá ser dada à confiabilidade do equipamento quanto à precisão de seus pontos de parada além da boa qualidade das ferramentas utilizadas. Qualquer variação do prensador, por exemplo, certamente resultará em diferenças no ângulo de dobra.

O cálculo de dobra “ao ar” para aplicação em Prensas Dobradeiras é feito mediante aplicação das seguintes fórmulas:

a) Para se calcular a força de dobra necessária por metro (F – ton/m):

F = {[1 + (4 . S / V)] . S ² . R . L} / V

Onde:

F = Força de dobra (ton/m);
S = Espessura da chapa (mm);
V = Abertura do canal de dobra (mm);
R = Limite de resistência do material (kgf/mm 2;
L = Comprimento da dobra (m).

Nota 1 - Entende-se como limite de resistência, a Tensão de Ruptura (de preferência à tração) conforme as propriedades mecânicas de cada material. Estes dados são fornecidos pelo fabricante.

b) Para se calcular o Raio Interno (Ri – mm) conhecendo o “V”

Ri = V / 6

c) Para se calcular a abertura de dobra (V – mm) conhecendo o “Ri”

V = Ri . 6

IMPORTANTE: Recomenda-se um “Ri mínimo” igual a S . 1,15.

d) Para se calcular o bordo mínimo externo (B – mm) conhecendo o “V”

(Somente para dobras a 90º)

B = 0,7 . V

Onde:

B = Bordo mínimo (mm);

Logo, V = B / 0,7

NOTA 2 – Os resultados são teóricos em razão diversos fatores que influenciam nos resultados. Entre eles estão: o próprio efeito elástico do material; variações na composição; temperatura; condições do equipamento e das ferramentas etc.

NOTA 3 – As fórmulas aqui apresentadas não se prestam à execução de trabalhos nos quais se requer o contato do punção ao fundo do canal da matriz (dobras a fundo de canal) por exigir uma força muito superior às dobras ao ar, como também ferramentas especiais para cada ângulo.